Como ajudar seu cliente a falar bem em público!

Seja pela dificuldade de falar ou de se expor a um grupo desconhecido ou para uma reunião de trabalho com superiores hierárquicos, fazer uma apresentação apropriada é muito mais do que ter slides bonitos e bem feitos.

Muitas das demandas que são apresentadas a um profissional de Coaching estão relacionadas à preparação do cliente na adequada apresentação de projetos, ideias, conceitos e palestras técnicas. Seja pela dificuldade de falar ou de se expor a um grupo desconhecido, como para uma reunião de trabalho com superiores hierárquicos, fazer uma apresentação apropriada é muito mais do que ter slides bonitos e bem feitos. E é sobre isso que vamos tratar hoje.

Pessoalmente, quero aqui confessar, eu tinha grande dependência de um powerpoint bem feito para eu me sentir seguro nas inúmeras apresentações que fazia, técnicas ou institucionais. Imagine um auditório com centenas de pessoas olhando para o apresentador, como centro de referência de um conteúdo do interesse geral e, então, ele transforma a tela no personagem principal e passa a ser um elemento secundário (às vezes até dispensável).

Há cerca de 20 anos, em uma palestra programada para Nova Friburgo (com autoridades locais presentes, principalmente lideres empresariais), aconteceu-me o impensável. No exato momento em que eu dava início à palestra, uma pane no sistema elétrico queimou, de uma só vez, o computador e o data show. Transformei a minha apresentação, naquele instante, para uma explanação sem auxílio audiovisual que (admito) não saiu perfeita, mas foi aplaudida dentro das circunstâncias. Desde então, o powerpoint me serve apenas como um apoio básico que, muitas vezes, sequer é utilizado. Prefiro centrar na contação de causos e histórias que ilustram o conteúdo a ser transferido para a plateia.

Para isso, no entanto, alguns requisitos são absolutamente necessários. Obviamente, o primeiro e fundamental ponto é o apresentador estar bem preparado. Ninguém é chamado a falar para “quebrar o galho”, o que exige do apresentador que esteja pronto psicológica e fisicamente. Se estiver cansado ou de mau-humor, a plateia perceberá, além do que o cérebro não agirá rapidamente diante de circunstâncias imprevistas. Da mesma forma, conhecer bem o assunto sobre o qual o apresentador vai falar dará mais confiança diante de qualquer pergunta.

Continuando, vestir-se adequadamente é um fundamento de primeira impressão, que nunca pode ser negativa. Se a plateia considerar que o apresentador de um conteúdo é desleixado no vestir, o que pensará do resto. Depois, mantenha a sobriedade também na forma de falar e de como entregará o conteúdo para o público. Cuidado com as piadas e brincadeiras de mau gosto, mas invista em histórias e causos apropriados ao tema. O melhor é ser o mais possível “você mesmo”, com naturalidade e firmeza na presença.

Para ser “você mesmo” e manter naturalidade, não fique pensando em outra coisa do que naquele momento da apresentação. Concentre-se na sua respiração, no comportamento da plateia e no desenvolvimento do seu trabalho. Imagine-se na plateia e avalie-se minuto a minuto, corrigindo o que julgar necessário. Porém, outra vez, para ter essa flexibilidade, é fundamental estar preparado ou, do contrário, será apenas um alto-falante do seu powerpoint. Fazer uma palestra bem feita é como ter uma relação de amor com todos os presentes.

Finalmente, é obrigação do Coach ensinar ao Coachee a técnica de visualização. Visualizar-se para ser bem sucedido faz parte do treinamento e da orientação para que alguém faça uma boa apresentação. Ensine o cliente a se ver mentalmente de forma eficaz no palco e a transmitir a mensagem que se propôs. A imaginar os problemas e dificuldades, bem como as frases de efeito para, junto com o preparo, ganhar segurança e qualidade no que fizer.

Mario Divo Author
Mario Divo tem incrível experiência profissional, tendo chegado a meio século de atividade ininterrupta, em 2019. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo da plataforma Dimensões de Sucesso, acumulando com o comando da MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa