Ainda sobre a Agilidade Emocional!

Saber gerir pensamentos e sentimentos reduz o estresse, diminui erros e contribui para alcançar metas. Aprenda mais sobre o processo que busca construir um maior nível de controle sobre sentimentos e reações.

Na semana passada, eu pedi muita atenção ao trabalho de duas pesquisadoras americanas, publicado pela Harvard Business Review, ao final de 2013. Susan David e Christina Congleton divulgaram o estudo How to manage your negative thoughts and feelings (Como gerenciar seus pensamentos e sentimentos negativos), lançando o conceito de Agilidade Emocional.

Apenas para resumir, a premissa é de ser frequente e até normal que uma pessoa tenha pensamentos negativos em seu cotidiano, o que se mostra mais crítico quando ocorre em ambiente de trabalho. Saber gerir esses pensamentos e sentimentos reduzirá o estresse, diminuirá erros e contribuirá para alcançar metas e, ainda que a Agilidade Emocional não seja de simples aplicação, as autoras afirmam que sua prática levará a uma competência mais efetiva em cargos executivos e de liderança.

A pesquisa mostrou que a tentativa de minimizar ou ignorar emoções e pensamentos negativos acaba apenas por amplificá-los. O estudo propõe que, para construir a Agilidade Emocional como habilidade crítica, deverá haver a autoaceitação e o autocompromisso baseados no reconhecimento dos próprios padrões; em rotular claramente os pensamentos e emoções; em aceitar essa ocorrência como normal; e em passar à ação com base nos seus valores como ferramentas-guia de atitudes e comportamentos.

Na sua essência, a Agilidade Emocional é um processo voltado a fazer a pessoa conhecer melhor a si mesma, em que ela busca construir um maior nível de controle sobre seus sentimentos e reações. Ou seja, a Agilidade Emocional exige a transformação das emoções em uma forma mais produtiva de ser e de viver, respeitando os próprios valores. Portanto, ninguém poderá negar a estreita correlação entre esses conceitos e tudo aquilo que se aplica ao Coaching.

Segundo as autoras, eis a forma sequencial bem simples de abordagem (e aqui fica a orientação para que um Coach experiente possa conduzir o assunto através desse exercício passo-a-passo):

  1. Escolha a situação em seu cotidiano de trabalho que, normalmente, costuma mostrar-se claro desafio.  Isso pode ser qualquer coisa feita a contragosto, com a sensação de se sentir sob pressão;
  2. Identifique os pensamentos que vêm à sua mente nessa situação, como por exemplo a de que haverá erro de sua parte, que as pessoas não respeitarão sua posição ou que você não tem o respeito dos outros;
  3. Identifique os sentimentos associados a esses pensamentos como, por exemplo, medo ou raiva;
  4. Pergunte-se e responda, com honestidade, o quanto você tenta fazer com que esses pensamentos negativos e os sentimentos associados sejam descartados: muito, pouco ou não faz esforço?
  5. Pergunte-se o quanto você assume e aceita como verdadeiros esses pensamentos e sentimentos.

O truque para a Agilidade Emocional não está em suprimir os pensamentos e sentimentos, sem contestação. Em vez disso, adote uma postura analítica, centrada em meta ou objetivo, com uma clareza que não seja conduzida pela dúvida interior. Busque realinhar a sua perspectiva de quanto você está se subordinando a suposições e não a fatos, encarando tudo com lógica e intencionalidade.

Melhorar a Agilidade Emocional e mudar os próprios hábitos requer flexibilidade na forma de se relacionar com a realidade. O ponto fundamental é que a ação tomada esteja profundamente alinhada com os valores pessoais pois, do contrário, em algum instante você perderá ou abandonará o rumo que tomou. As autoras sugerem uma lista com os principais valores encontrados para um ambiente de trabalho (Personal Values Card Sort – 2001), criada por W.R. Miller, J. de Baca, D.B. Matthews, e P. L. Wilbourne, da Universidade do Novo México.  Aliás, para este e vários outros casos, um Coach experiente pode usar a relação a seguir como base de atendimento em Coaching. Boa sorte!

Lista sugerida de valores como suporte a um trabalho de Agilidade Emocional
AberturaCompaixãoEstabilidadeMudançaResponsabilidade
AmizadeConfiançaFamíliaOrdemRiqueza
AmorConfortoGenerosidadePaixãoRisco
AutenticidadeConhecimentoHumildadePerdãoSaúde
AutoconhecimentoCooperaçãoHumorPoderSegurança
AutonomiaCortesiaInconformismoPopularidadeServilidade
AutorrealizaçãoCriatividadeJustiçaPrecisãoSimplicidade
AutoridadeDesafioLazerPropósitoTolerância
AventuraDeverLiderançaRacionalidadeTradição
CaridadeDiversãoModeraçãoRealismoUtilidade
Mario Divo Author
Mario Divo tem incrível experiência profissional, tendo chegado a meio século de atividade ininterrupta, em 2019. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo da plataforma Dimensões de Sucesso, acumulando com o comando da MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa