fbpx

Abaixo o mau humor!

Você já percebeu que naquele dia em que você acorda mal humorado parece que as coisas ruins acontecem com maior frequência: o trânsito está mais intenso, o clima chuvoso e por aí vai?

Existem pessoas que acreditam que tudo de ruim acontecerá com elas, a Lei de Murphy é seu lema. Vocês lembram daquele desenho da hiena e do Leão? O Hardy e o Lip?

As posturas dos dois eram opostas. Enquanto o Leão era bem humorado e otimista, a Hiena era pessimista e sempre soltava seu bordão “Ó Vida!!! Ó Céus!!! Isso não vai dar certoooo!!!”. No final o que acontecia? Tudo dava errado.

Podemos fazer uma analogia deste desenho com a vida real. Faça uma reflexão. Naquele dia em que você acorda mal humorado parece que as coisas ruins acontecem com maior frequência: o trânsito está mais intenso, o clima chuvoso, os clientes insatisfeitos resolvem ligar neste dia e por aí vai.

Sem contar que, conviver com alguém pessimista do lado não é tarefa fácil, pois, geralmente a energia “pesada” influencia o otimista e quando menos percebemos o ambiente está contaminado.

Em contrapartida, nos dias em que seu humor está em alta, uma série de notícias boas acontecem. O dia parece ensolarado, mesmo que nublado, seu líder mais feliz, os clientes mais calmos, etc.

Há várias teorias que tratam deste assunto, que não aprofundarei aqui, inclusive a famosa  Lei da atração que foi esmiuçada no livro “O Segredo” de Rhonda Byrne.

Uma destas teorias é de Rothbard e Steffanie Wilk, professoras da Fisher School of Business da Universidade Estadual de Ohio. Elas queriam descobrir que eventos seriam responsáveis por alterações (ou não) do humor e de que forma influenciariam no ambiente de trabalho e desempenho dos colaboradores.

Os resultados do estudo de Rothbard e Wilk realizado entre os funcionários de um call center de uma grande empresa de seguros são relatados em um ensaio intitulado “Entremuros: origens e consequências do humor do empregado no desempenho do seu trabalho”.

As pesquisadoras descobriram que, tanto o bom, quanto o mau humor afetam a produtividade dos colaboradores, mas que o bom humor tem efeito mais poderoso.

Foi também constatado que o humor com que o indivíduo chega ao local de trabalho tem um efeito mais forte sobre seu ânimo no decorrer do dia — e sobre o desempenho no trabalho — do que as possíveis variações de ânimo causadas por eventos ocorridos no local de trabalho.

É fato que baseado na ciência ou por mera coincidência atraímos coisas boas ou ruins, de acordo com nossa energia, portanto, deixe o mau humor de lado.

Entenda as situações ruins do dia a dia como algo a ser vivido, aprendido e processado, mas, não as retenha e nem passe adiante.

Nada pior que o mau humor. Seja profissional. O cliente não tem culpa dos seus problemas particulares, do aumento do custo de vida, e muito menos do seu mau humor.

Estar bem humorado faz bem a todos. Pratique esta ideia!

Pós-graduando em Direitos Humanos, Responsabilidade Social e Cidadania Global pela PUC RS, Pós-Graduado em Tecnologia Assistiva pela Fundação Santo André/ITS Brasil/Fundação Don Carlo Gnocchi (Itália/Milão). Pós-graduado em Psicologia Organizacional pela UMESP e Graduado em Psicologia pela UNIMARCO. Extensão em Gestão de Diversidade pela PUC (Trabalho final: “O impacto do imaginário dos líderes no processo de diversidade e inclusão nas organizações”), Credenciado em Holomentoring, Coaching e Advice pelo Instituto Holos. Formação em Coaching Profissional pela Crescimentum. Formação em Facilitação Digital pela Crescimentum, Formação em RH e Mindset Ágil pela Crescimentum. Formado como analista DISC. Vivência de 30 anos na área de RH, em subsistemas como Recrutamento & Seleção, Treinamento, Qualidade, Avaliação de Desempenho e Segurança do Trabalho. Desempenhou papéis fundamentais em empresas como Di Cicco., Laboratório Delboni Auriemo, Wal Mart, Compugraf, Mestra Segurança do Trabalho. Atualmente é Diretor da TRAINING PEOPLE responsável pela estratégia e coordenação de equipe multidisciplinar especializada em temas como Diversidade, Liderança e Gestão, Vendas, Educação Financeira, Comunicação, Turismo e Segurança do Trabalho. É Vice-presidente de Diversidade e Inclusão e Líder do Comitê de Diversidade e Inclusão da ABPRH – Associação Brasileira de Profissionais de Recursos Humanos, Presidente e Fundador do Instituto Bússola Jovem, projeto social com foco em jovens de baixa renda que tem por missão transformar vidas através da Educação, Trabalho e Carreira. Colunista das Revista Cloud Coaching. Coautor do livro: Segredos do sucesso: da teoria ao topo – histórias de executivos da alta gestão pela Editora Leader e do livro Gestão Humanizada de Pessoas pela Editora Leader. Coordenador e coautor do livro Diversidade em suas múltiplas dimensões pela Editora Literare Books.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa