fbpx

A vida, sua beleza e o inesperado!

Aquilo que conhecemos nos fortalece para enfrentar os desafios, enquanto o inesperado exige repensar e, por vezes, dar passos atrás para conseguir recomeçar a trajetória esperada. Não deixe para amanhã a conquista de hoje, pois talvez o amanhã não lhe chegue para isso.

Este espaço que chamamos de Dimensões do Sucesso foi criado para explorar conteúdos que pudessem contribuir com o sucesso e o alcance dos objetivos por uma pessoa, fosse ou não profissional de Coaching. Inspirado em textos, estudos e artigos que tratam do cotidiano de pessoas e empresas, buscamos dar uma contribuição especifica ao pensar e refletir sobre a vida que levamos e como se pode tentar melhorar, em todos os aspectos.

Hoje, consternado com a notícia da queda do avião que levava o time de futebol da Chapecoense para disputar a primeira partida das finais da Copa Sulamericana, eu decidi usar o fato triste para explorar o contraste que a vida tem ao colocar, frente a frente, a alegria e a perda brusca. Aquilo que conhecemos e sabemos nos fortalece para enfrentar os desafios, enquanto o inesperado nos exige um repensar e, por vezes, dar passos atrás para conseguir recomeçar a trajetória esperada.

Em apenas sete dias, a expectativa de vida para dezenas de pessoas se transformou de forma incrível, saindo da beleza de uma celebração que envolveu toda a cidade de Chapecó, para um momento de angustia geral. Há uma semana, os atletas conquistaram a façanha que os enchia de orgulho, criavam um cenário de glória para o time e fizeram chorar milhares de pessoas com o mais absoluto sentido da alegria. Uma semana depois, essas pessoas se despediram de seus familiares para irem disputar mais uma partida, sinalizando a todos que o esforço seria total, para que o mesmo choro de alegria se repetisse. Mal eles sabiam que o inesperado da vida garantiria um choro não de alegria, pela vitória conquistada, mas pela tristeza da tragédia inesperada.

Em uma semana muitos sonhos novos foram criados, em todas as dimensões relacionadas ao clube que demonstrou pujança em seu crescimento. No que diz respeito aos atletas, sonhos de carreira vencedora certamente se estabeleceram, vislumbrando oportunidades de ganhos a mais e a grande exposição no mercado futebolístico. Atletas mais veteranos viam como prêmio o reconhecimento de sua competência. Crianças beijaram os pais e prometeram ir bem em seus deveres escolares. Outros, ainda bebês, motivaram a busca de uma dedicação maior para garantir o futuro da família. Esposas foram dormir, na 2ª feira, sem imaginar que todos os seus planos para o dia seguinte seriam cancelados pelo inesperado da tragédia.

No nosso cotidiano lutamos muito para construir um sentido e um caminho, mas não podemos fazer disso uma obsessão. Não adianta deixar para aproveitar amanhã a conquista de hoje, pois talvez o amanhã não lhe chegue para isso. A cada conquista, a cada pedacinho de alegria que você associar com algo parecido com “sucesso”, celebre com a sua família e os amigos. Não fique transferindo oportunidades de viver momentos alegres para substituir por mais trabalho e novos desafios. Busque o equilíbrio em que a sua família seja o centro dessa escolha.

Na mitologia grega predominavam as três Moiras (na mitologia romana eram chamadas de Parcas), irmãs que decidiam o destino dos Deuses e dos seres humanos. Cloto era aquela que gerava e tecia o fio da vida. Laquesis era aquela que escolhia os atributos que a pessoa teria e o que faria com esses atributos. E por fim, Atropos tinha o poder de cortar o fio da vida, algo que nem Zeus poderia mudar. Em tudo o que nos cerca, devemos sempre estar preparados para o momento em que o nosso próprio fio da vida será cortado, acabando também com os sonhos e os planos que estavam sendo construídos.

Certamente, o amanhã será muito triste e dolorido para os moradores de Chapecó e os que tinham mais intimidade com os atletas mortos no acidente. Porém, cabe lembrar, o mesmo beijo de “até logo e boa viagem” foi dado em casa pelos pilotos, os comissários de bordo, a equipe técnica do clube, os jornalistas que cobririam o jogo e, até mesmo, outros anônimos passageiros. Atropos decidiu cortar o fio da vida de todos eles e, condescendente, liberou apenas 5 pessoas dessa decisão. Quanto a você, pense muito na sua responsabilidade social, no que oferece aos outros de seu melhor e naquilo que contribui para um mundo melhor. Esteja em paz com a sua consciência quando Atropos chamar para uma “rápida e inesperada” conversa.

Mario Divo Author
Mario Divo tem extensa experiência profissional, tendo chegado a quase meio século de atividade ininterrupta, em 2020. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo das plataformas de negócios MENTALFUT® e Dimensões de Sucesso®, acumulando com o comando da sua empresa MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa