A Resiliência pode ser treinada

A grande novidade é que a resiliência não é um traço exclusivo de certas pessoas. Isso pode ser treinado e certos fatores podem contribuir com seu desenvolvimento. Confira algumas dicas para aumentar a sua capacidade de lidar com adversidades e/ou dificuldades.

1543
1543

O dicionário Oxford define resiliência como “a capacidade de se recuperar rapidamente de dificuldades e a capacidade de uma substância ou objeto de voltar à forma (Stevenson, 2010)”. Podemos ver isso, por exemplo, em metais como o ferro, que pode ser dilatado e voltar a sua posição original sem quebrar; isso é resiliência. Por outro lado, o ferro fundido é muito firme, mas se quebra facilmente; isso não é resiliência (Lazarus, 1993).

Algo semelhante acontece com os seres humanos. Como a American Psychology Association (2011) explica, as pessoas resilientes se adaptam bem às condições estressantes e situações de mudança de vida. Elas não estão isentas de emoções negativas, mas aliviam os eventos traumáticos e enfrentam momentos difíceis que as ameaçam com adversidade. Praticar ações e ter a atitude certa é uma parte importante do enfrentamento.

A grande novidade é que a resiliência não é um traço exclusivo de certas pessoas. Isso pode ser treinado e certos fatores podem contribuir para seu desenvolvimento. Exploraremos diferentes exercícios de resiliência. No entanto, é importante levar em consideração que, assim como cada pessoa reage de forma diferente à adversidade e de maneiras únicas, com base na personalidade, idade, cultura e outros fatores que desempenham um papel importante, qualquer pessoa pode desenvolver uma estratégia única de despertar e aumentar a resiliência.

A teoria das emoções positivas do expandir e construir afirma que durante os momentos de estresse as pessoas focam em pensamentos e ações diferentes. Barbara Fredrickson vê as emoções negativas como “o repertório momentâneo de ações e pensamentos da pessoa para que se comporte de uma maneira específica (ex., atacar quando estiver com raiva, ou fugir ao sentir medo)”.

Em contraste, as várias emoções positivas (ex.: alegria, contentamento, interesse) expandem a gama de cognições e comportamentos que vem à mente. Esses “estados mentais expandidos, por sua vez, constroem recursos físicos, intelectuais e sociais do indivíduo”(Fredrickson, 1998; 2001).

Tugate e Fredrickson (2004) conduziram um estudo para mostrar os benefícios que as emoções positivas têm na regulação das emoções negativas, e descobriram que era possível encontrar significado positivo nas circunstâncias negativas. Em outra pesquisa descobriu-se que as emoções positivas fornecem otimismo, atitudes de entusiasmo para a vida, e aumento da curiosidade (Kremen, 1996).

Levando em consideração os efeitos da resiliência, seguem abaixo algumas dicas para aumentar a capacidade de lidar com adversidades e/ou dificuldades:

  • Aceite ajuda e apoio daqueles que se importam com você. É importante falar sobre seus problemas com alguém que ouve sinceramente;
  • Participe de grupos, organizações e/ou intervenções que oferecem apoio social e esperança;
  • Trace metas realistas, mensuráveis, específicas, atingíveis e com tempo determinado;
  • Identifique o seu propósito de vida e faça atividades todos os dias que tenham relação com o seu propósito;
  • Veja o que aprendeu em circunstâncias difíceis e quais estratégias usou para superar estes momentos;
  • Foque no ganho que a tragédia pessoal trouxe. Às vezes isso poderá se refletir em relacionamentos melhores, fortalecimento (mesmo ao sentir-se vulnerável), auto dignidade, espiritualidade ou apreciação pela vida;
  • Não foque apenas no problema do momento presente;
  • Pense em perspectivas a longo prazo;
  • Visualize e foque no que você quer, em vez de se preocupar com os seus medos ou com o que você não quer;
  • Seja otimista, mantenha sempre a esperança;
  • Preste atenção em suas próprias necessidades e sentimentos;
  • Envolva-se em atividades que você gosta e acha relaxantes;
  • Pratique mindfullness, focando a sua atenção para o momento presente;
  • Faça atividade física regularmente;
  • Foque em circunstâncias futuras positivas, seja otimista;
  • Cultive uma visão positiva de você mesmo;
  • Confie em suas habilidades e instintos para resolver problemas;
  • Aceite quando as circunstâncias não podem ser mudadas, às vezes, você não irá ganhar;
  • Foque no que você pode mudar ou no que pode ser alcançado.

Com base nos itens acima lembre-se que na maior parte das vezes criamos fantasmas em nossas mentes que não são baseados na realidade e por pior que seja a situação podemos escolher como enfrentá-la, no que vamos focar e qual vai ser a nossa atitude diante do acontecimento.

Tente o máximo que puder ajudar a si mesmo a sair de situações que não são boas para você. É importante sempre refletir, criar um plano de ação, fazer planos para alcançá-lo e ter atitudes.

“A última liberdade humana é a habilidade de escolher a própria atitude em uma série de circunstâncias”.
(Viktor Frankl)

Sharon Feder Author
⚙️ Carevolution
Sharon Feder é formada em Psicologia pela Brown University nos EUA, com especialidade em Estudos Brasileiros e Portugueses pela Brown University e Coach de Saúde e Bem-Estar com Certificação Internacional pela Wellcoaches (EUA). Treinada no Modelo Transteórico de Mudança de Comportamento (ProChange Behavior Systems). Atualmente, é Sócia Diretora na Carevolution Consultoria em Saúde e Bem-Estar, desenvolvendo programas de qualidade de vida e capacitações de profissionais com foco em mudança de comportamento, engajamento e autocuidado.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa



Loading cart ...