fbpx

A Resiliência e o Coaching (Parte II)

Pessoas resilientes têm visão nítida daquilo que querem alcançar, usam isso como estrela-guia de orientação e conseguem agir mesmo diante de incertezas e assumir riscos. O Coaching ajudará a desenvolver um senso especial de propósito, com uma visão clara e focada.

Na última postagem comentei do grande interesse demonstrado pelos leitores quanto ao tema resiliência. Motivado por conhecer o que pesquisadores desenvolveram na relação da Resiliência e do Coaching, consultei a base de dados EBSCO e, curiosamente, encontrei um único artigo científico publicado no tema. Para quem quiser conhecer detalhes sobre ele, a referência é Coaching for resilience, de Freddie Barret (publicado no Organizational Development Journal, em 2005). A pesquisadora conta com um site específico sobre o assunto: www.resilientsolutions.com.

Certamente, é um grande desafio resumir um artigo em poucas palavras, mas a intenção é dar foco nas conclusões e propostas. Barret afirma que, ao longo da carreira, muitas vezes se perguntou: Qual o segredo para o sucesso? E ficava aborrecida por não conseguir identificar claramente o que fazia a diferença entre o sucesso e o insucesso. Em 1999, começou a estudar sobre a natureza da resiliência e se tornou consciente da sua própria resiliência. O estudo que desenvolveu discute cinco características de resiliência que construíram suas estratégias para o Coaching.

Para Barret, a resiliência pode ser analisada a partir de cinco características: positivista, focada, organizada, proativa e flexível. Quando ela atende explorando a primeira característica (positivista), o Coachee deve descrever as possíveis oportunidades que ocorrerão a partir da mudança desejada. Os clientes devem estar conscientes de que não existem falhas ou erros, mas apenas as situações para a aprendizagem. Por esse caminho, o cliente deve ser capaz de apresentar a clara descrição da situação atual como um grande presente, devendo se concentrar em que lições foram aprendidas e novos caminhos surgiram.

A pesquisa comenta que pessoas resilientes têm visão nítida daquilo que querem alcançar e usam isso como estrela-guia de orientação. Elas têm clareza de propósito para suas ações. Assim, o Coach deve ajudar o seu Coachee a desenvolver um senso especial de propósito, com uma visão clara e focada. No que diz respeito à questão da organização, a chave para o sucesso é a capacidade de a pessoa rapidamente converter dados em informação e, em seguida, organizar essas informações em planos eficazes para avançar. O Coach deve incentivar o cliente a quebrar problemas lógicos em pedaços, o que facilitará criar ações realizáveis na direção escolhida.

Continuando, pessoas resilientes conseguem agir mesmo diante de incertezas e assumir riscos. Um elemento importante da resiliência é a vontade de prosseguir e aprender com a experiência, revendo então os planos. O Coach pode ser especialmente útil em ajudar o cliente proativo a imaginar a tomada de ação em face de risco e o estimular à reflexão: O que é a pior coisa que poderá me acontecer? Finalmente, temos a questão da flexibilidade e, conforme a autora, os resilientes transitam em ampla gama de estratégias criativas e flexíveis para responderem à desejada mudança. Um elemento presente é a capacidade para construir diversas soluções e então alterá-las, se necessário. E têm alta capacidade em construir redes de relacionamento e troca de informações.

A autora encerra o artigo afirmando que desenvolver essas cinco características de resiliência em si própria ajudou-a a continuar buscando a criatividade inexplorada, com energia e paz. Certamente, como qualquer outra pessoa, ela assume ter seus momentos de altos e baixos. Mas o fundamento está em assumir-se rapidamente como quem ainda tem muito a aprender, com alegria, esbanjando confiança em cada novo serviço ou trabalho.  Vale lembrar o quanto é correto pensar em pequenos passos em uma direção e, caso isso não se mostre funcionando a contento, usar de flexibilidade e liberdade para tentar algo novo. O modelo mental criado por Freddie Barret chama-se Ciclo de Renovação e, sem dúvida, merece ser avaliado pelos interessados na área do Coaching.

Mario Divo Author
Mario Divo tem extensa experiência profissional, tendo chegado a quase meio século de atividade ininterrupta, em 2020. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo das plataformas de negócios MENTALFUT® e Dimensões de Sucesso®, acumulando com o comando da sua empresa MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa