fbpx

A Pandemia antecipou realmente o Futuro (do trabalho)

A Pandemia nos obrigou a rever todos os conceitos que foram impostos pela sociedade pós-industrial ao mercado de trabalho e antecipou o futuro do trabalho.

A Pandemia antecipou realmente o Futuro (do trabalho)

A Pandemia antecipou realmente o Futuro (do trabalho)

Alguns estudiosos consideram que a Globalização foi um processo gradativo que se divide em três fases. Teve início no século XV com o Capitalismo Comercial e crescimento do mercantilismo; depois com o modelo industrial Europeu e as conquistas de territórios em outros continentes; e a Terceira Revolução Industrial, com a disseminação de novas tecnologias e consolidação do sistema capitalista e a queda do muro de Berlim. Para outros, esta última fase é a que realmente marca a globalização.

A verdade é que o desenvolvimento dos meios de comunicação, a expansão e inovação constante das redes tornaram, de fato, o mundo cada vez mais integrado.

No início do século XXI (2000), o Sociólogo Domenico De Masi lançou seu livro “O Ócio Criativo”, onde discute o modelo de idolatria ao trabalho e assim propõe uma mudança que busque integrar trabalho, estudo e lazer.

Uma sociedade baseada no crescimento do tempo livre em contraponto ao trabalho decrescente, aliado a uma melhor distribuição das riquezas e a sua produção de forma eficiente.

Em seu livro “O Futuro do Traballho”, propõe uma sociedade onde conhecer conta mais do que fazer, o que é permitido pelas novas tecnologias, integrando assim a vida, o ócio e o trabalho. Ele acredita que o progresso da sociedade visa maior qualidade de vida e a felicidade da população, capaz de exercer o ócio criativo, a meditação, o lazer, o amor, a contemplação da beleza, a amizade e a convivialidade.

Considerando o pensamento deste autor, observamos que a Pandemia nos obrigou, de fato, a rever todos os conceitos que foram impostos pela sociedade pós-industrial ao mundo do trabalho.

Podemos considerar que o mundo não se tornou um caos maior com a Pandemia, por conta dos sistemas integrados de comunicação. Eles nos trouxeram assim novas propostas de trabalho, convívio social e lazer.

Almejamos a retomada de nossas vidas sem as limitações impostas pela COVID-19, mas carregaremos aprendizados e novos hábitos.

A necessidade de adaptação a esses tempos difíceis nos trouxe assim a necessidade de ter em nossos lares, além de uma estação de trabalho, espaços diferentes (de estudo, de lazer, de recreação infantil e de restaurante) e de repensar o modelo de trabalho existente, com a valorização de nossas casas.

Muitas empresas já estão chancelando o trabalho “in home” como uma nova plataforma, enquanto outras apostam na performance híbrida. Poucas voltarão ao sistema anterior.

Podemos dizer que a reflexão de Domenico De Masi de certa forma aconteceu, exceto no ponto de vista econômico. Isso porque no plano financeiro e educacional abriu-se um distanciamento ainda maior para as classes menos favorecidas.

Em uma entrevista em setembro de 2020, De Masi coloca de forma clara o seu pensamento sobre o momento de Pandemia, a saber: 

“A saúde vem antes da democracia; e a democracia antes da economia. Os recursos do planeta têm limite, e nós, ao invés de lutar uns contra os outros, faríamos bem em nos unir contra três inimigos comuns: o vírus, o aquecimento global e as desigualdades. Quanto à economia, o coronavírus nos ensinou a importância da intervenção pública e a prioridade do necessário sobre o supérfluo”.

Agora com atendimentos predominantemente online de meus clientes, me permito, em alguns momentos, estar a quilômetros de minha casa, numa cidade litorânea, longe de meus livros. Além disso, só foi possível escrever este artigo graças à pesquisa de internet; que reavivou todas as leituras que fiz deste autor, trabalhando e fazendo jus ao ócio criativo.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre como a pandemia antecipou o futuro do trabalho? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Natalia Marques
Psicóloga, Coach e Palestrante
http://www.nataliamantunes.com.br/

Confira também: Como o Cérebro nos Ajuda a Tomar Decisões e Realizar Ações?

 

Natalia Marques é Psicóloga Clínica, Coach e Palestrante. Formada em Psicologia pela FMU (1981) e em Coaching/ Mentoring Life & Self-Instituto Holos, possui pós-graduação em Recursos Humanos pela FECAP. Tem curso de Meditação Chan do Templo Zu Lai em Cotia. Como Psicóloga Clínica realiza atendimento Psicoterápico de base Psicanalítica, trabalha os sintomas de Estresse, Ansiedade, Depressão, Fobias, Síndrome do Pânico, Síndrome de Burnout, Conflitos Pessoais e Profissionais. É Coach de Desenvolvimento Pessoal, ajuda pessoas a atingirem seus objetivos e metas pessoais e profissionais, para se tornarem mais felizes. Especialista em Saúde Organizacional e Ocupacional, atua ainda como palestrante em temas de saúde, resiliência, trabalho, carreira e pós carreira. Associada da ABRH, ISMA Brasil e SOBRARE. É coautora no livro “Planejamento Estratégico para a Vida”, onde trata o tema da “Resiliência”.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa