fbpx

A Falta de Humanização nas Organizações Impacta a Saúde Mental?

Seria falta de espaço para o diálogo? A falta de ambientes confiáveis? Ausência de respeito às necessidades humanas? Ausência de sensibilidade dos líderes em perceber o que se passa com os colegas e equipe?

A Falta de Humanização nas Organizações Impacta a Saúde Mental?

A Falta de Humanização nas Organizações Impacta a Saúde Mental?

O janeiro branco já terminou, mas a chamada continua.

Vivemos questionando as coisas, as relações, o trabalho, as parcerias, os negócios, a carreira e a vida. Questionamos frequentes e inquietantes.

Por que será que questionamos tanto?

O que será que incomoda tanto?

É desconfortável sair da zona de conforto e ficar naquela também.

Seria uma falta de espaço para o diálogo? Seria a falta de ambientes confiáveis? A ausência de respeito às necessidades humanas? A ausência de sensibilidade dos líderes em perceber o que se passa com os colegas e equipe?

Se você respondeu parte das perguntas acima, vai constatar que a humanização impacta sim a saúde mental. O que acontece com você quando não há espaço para o diálogo, quando não consegue dividir as suas inquietações, os seus medos, as suas dúvidas. E quando tudo isso acontece, viramos uma “bomba relógio” e tudo será uma questão de tempo para um Burnout, Depressão, entre outros. Certamente você conhece mais de uma pessoa que toma remédio para ir trabalhar. E por que isso acontece? Seria a falta de diálogo?

É necessários ambientes confiáveis, em que possamos nos expressa sem sermos julgados. O seu ambiente de trabalho permite isso?

Confiança é um dos valores da espiritualidade e base sustentável para as relações humanas e organizacional. O líder que não consegue criar um ambiente confiável, não conseguirá evoluir com o seu time para o mais alto rendimento. Profissionais de alta performance precisa se sentir livres e apoiados para renderem o melhor que os seus potenciais.

Líderes Espiritualizados criam condições para desenvolver o potencial das suas equipes, entendem necessidades, reconhecer e estimulam o melhor do outro. Isso é humanização. Pessoas que estão realizando o que gostam tendem a estar bem e contagiam os seus ambientes.

“Se você exerce a sua vocação, metade da sua vida está resolvida.” (Fernanda Montenegro)

Por quantas vezes você não “pirou o cabeção” quanto se sentiu desrespeitado? Ou quanto viu alguém ser desrespeitado?

Para humanização é preciso ter respeito, respeito as individualidades, às diversidades, as necessidades humanas, sociais e organizacionais.

Respeito é um dos valores da espiritualidade e estabelece uma conexão magnifica entre as pessoas. Mesmo que elas não convivam e nem se relacionem, o respeito nos conecta. E a falta dele cria um sentimento devastador e que pode afetar consideravelmente a saúde mental.

Entendo que a liderança tem alto impacto nessas mudanças e humanizar passa a ser mais do que um processo de desenvolvimento das lideranças e organização. Trata-se de um processo de Evolução.

E por falar em mudança e evolução, me despeço dessa coluna, portanto, esse é meu último artigo aqui, e aproveito para apresentar e passar o bastão para a nova colunista, Regina Sotto Maior.

Tenho uma admiração especial pela Regina, tanto no que diz respeito à sua grandiosidade como ser humano quanto pela extraordinária profissional que é. Tenho certeza de que essa coluna ganhará conteúdo, força e sabedoria com a vinda da Regina.

Minha nova coluna será Liderança Espiritualizada: humanizando organizações.

Espero por você na minha nova coluna!

Deixe aqui os seus comentários sobre este artigo.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre como a falta de humanização nas organizações impacta a Saúde Mental? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Beijo no coração e abraços!

Adilson Souza, PhD
CEO e Fundador da Estação Liderança
https://estacaolideranca.com.br

Confira também: Inteligência Coletiva, Mentoria e Saúde Mental

 

Adilson Souza é 53 anos, Sergipano, nascido na cidade de Japoatã (SE). Filho da Dona Neuza e Sr. Antonio, irmão do Averlan, Airton e Adriana. Casado com Sumaia Thomas Pai do Thiago (29), Liz (7) e Lui (6). PhD (Doctor of Philosophy in Business Administration) pela Flórida Christian University – Orlando / FL/ EUA. Mestrado em Psicologia; Pós-graduado em: Educação, Administração de Empresas e Administração de RH; Graduado em Ciências Econômicas. Docente nos programas de Pós-graduação da ESPM, FGV , IBMEC e Florida Christian University – Orlando/FL/EUA. Master-trainer em Programação Neurolinguística. Mentor e Coach de empresários e executivos (Certificação Internacional). Participou de intercâmbio de negócios e cultural em 18 países. Esteve em mais de 150 conhecidas no Brasil em todas as regiões. Experiência de 35 anos em Desenvolvimento do Fator Humano nas organizações. Mais de 500 mil pessoas viram palestras, aulas e treinamentos. Acompanha e assessora empresários e executivos em missão estratégica no exterior. Palestra no TED Talks Santos – GRATIDÃO. CEO & Fundador da Estação Liderança Consultoria Empresarial. Presidente do Conselho Consultivo da FiChips e Mr. Fit na União Europeia. Autor do livro LIDERANÇA E ESPIRTITUALIDADE: Humanizando as relações profissionais.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa