fbpx

A explicação que EU ESCOLHO dar!

Um mesmo fato e várias explicações. Temos pontos de vista sobre tudo e muito do que falamos está baseado no que acreditamos. Isso tem ditado nossas ações, nossa vida.

Tenho observado muito as explicações que dou para os acontecimentos e inevitavelmente acabo prestando muita atenção nas explicações das pessoas à minha volta para os acontecimentos de suas vidas.

Um mesmo fato e várias explicações. Temos pontos de vista sobre tudo e muito do que falamos está baseado no que acreditamos. Isso tem ditado nossas ações, nossa vida.

Meu exercício tem sido ouvir e achar interessante o ponto de vista de outras pessoas, principalmente quando ele difere do meu.

Certo dia, me disseram que eu estava buscando ser otimista demais nas minhas interpretações. Ex: quando alguém dizia que tal fato era ruim, tinha um significado ruim, eu escolhi dizer que era apenas um fato e que eu estava vendo o lado bom dele.

As coisas podem acontecer independentemente de nós. E que o que está acontecendo ao nosso redor são fatos e damos os significados a eles que queremos dar.

Tenho escolhido estar pronta para a paz e não para o conflito. Mesmo quando discordamos é simplesmente uma opinião e está tudo bem em pensarmos diferente.

Essa escolha eu faço depois de muitas escolhas pela tristeza, crise, dúvidas e dor.

Estou muito sensível em relação ao tempo de vida também. Tenho pouco tempo nessa terra para me apegar em pontos de vista que me fecham para o mundo, para outras oportunidades.

Toda vez que afirmo categoricamente algo, e aqui sem juízo de valor, sem dizer se é bom ou mal, deixo de me perguntar sobre como seria pensar diferente.

Isso tem também norteado muito meu trabalho. Podemos nos inspirar por várias teorias, mas podemos também nos abrir a experimentarmos várias outras, numa curiosidade sem fim.

Outro dia ouvi também que os dias que antecederam o último eclipse tinha sido de muita dificuldade para os projetos e tudo que estava em andamento estava truncado. Eu não tinha essa informação durante aquelas semanas, então fui resgatar as memórias dos últimos dias e para minha surpresa, portas se abriram, novos contatos foram feitos e o desfecho de um projeto que eu estava esperando foi concluído. E olha que eu acredito em astrologia, por exemplo, mas acho que a diferença é se perguntar o que pode ser melhor agora?

Teria minha atitude interna influenciado meus dias? Independentemente do “Eclipse”?

Como podemos numa situação de confusão, buscar clarear nossos pensamentos e emoções?

Então a mágica acontece, a partir dessa atitude interna, dessa escolha consciente, seguimos abrindo a mente e o coração para outras oportunidades.

Esse poder que temos de escolher é libertador e não me canso em trabalhar com esse tema.

Então, eu continuo escolhendo observar meus pensamentos e acolher amorosamente os pensamentos dos que me cercam. E quanto mais escolho pensamentos de amor em relação à vida, mais amor sinto e vivo.

Claudia Vaciloto é Iniciadora e Sócia da Organização em Rede NaSala, Psicóloga, Mentora Organizacional para Áreas e Executivos de RH, Facilitadora Certificada e Treinadora Oficial no Brasil do Jogo Miracle Choice, baseado no livro Um Curso em Milagres, Facilitadora de Pintura Espontânea baseada na Teoria Point Zero (Esalen Institute Big Sur California) e Imagens Fotográficas para atendimentos terapêuticos (Sedes Sapientes). Fez carreira em RH passando por empresas como Accenture, EDS, VR, Ability Trade Marketing, onde atuou como Diretora de RH pelos últimos 10 anos. Faz treinamentos e vivências comportamentais para empresas e grupos e atendimentos individuais. Formada em Executive and Life Coaching pelo ICI – Integrated Coaching Institute, assina a Coluna Reflexões e Provocações para Revista Cloud Coaching. Co-idealizadora da Plataforma GameYou, que oferece experiências de desenvolvimento através de jogos.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa