Anúncios

A arte de Liderar Pessoas: 7 práticas para ativar seu potencial!

Conheça 7 importantes práticas para ativar o potencial de Liderança e aplicar sua capacitação na condução participativa junto às equipes.

como ativar o potencial de Liderança

A arte de Liderar Pessoas: 7 práticas para ativar seu potencial!

Prezado leitor! Irei publicar sete importantes práticas sobre como ativar o potencial de Liderança. Neste mês publicarei as duas primeiras, e as demais as farei subsequentemente nas próximas edições!

O desafio de um Líder é duplo: capacitar-se permanentemente e aplicar sua capacitação na condução participativa junto às equipes.

Um Líder é uma pessoa que inspira, que impulsiona a automotivação das pessoas, portanto não existe mais a figura do “chefe”, o “Todo Poderoso” que manda e os outros obedecem.

Além disso, toda capacitação do Líder também é pertinente aos liderados, pois as ações do Líder precisam ter ressonância com os colaboradores.

Assim, este artigo foi feito para pessoas que exercem atividades de Liderança tanto em organizações, como em pequenas empresas, grupos de trabalho, reuniões, organizações sociais, etc.

Você vai conhecer sete práticas para ativar o potencial de Liderança – lembrando sempre que são práticas que se correlacionam sistemicamente, portanto, funcionam em conjunto, cada uma se relaciona com todas as demais!

Boa leitura!

Primeira prática: Ampliar a Visão de Mundo

A Visão é nosso aspecto mais profundo como seres humanos, ou seja, refere-se aos nossos paradigmas e entendimentos, nossos conhecimentos e aprendizagens anteriores. São esses fatores que geram a Visão de Mundo e, a partir daí, os comportamentos e as atitudes de um modo geral.

Portanto, ao Liderar pessoas, é imprescindível que você tenha uma Visão de Mundo ampla e aberta.

Para isso, você deve tomar consciência da Visão de Mundo na qual opera, ou seja, quais são suas crenças, que raciocínios você realiza cotidianamente e como atua na sua liderança.

Com frequência, o Líder não percebe que age com visão menor, mais racionalizante, determinista, tecnicista, impositiva, desconsiderando as necessidades das pessoas, então isso fatalmente vai gerar amplas dificuldades relacionais com os liderados.

Aqui, o desafio é estudar a Mentalidade Humana, adotando visões mais amplas e libertadoras no processo, como a visão holossistêmica, que colabora na resolução de muitas dificuldades.

Por exemplo: transmigrar algumas visões mais mecanicistas para uma visão mais sistêmica.

Embora a visão mecanicista tenha sua importância em assuntos ou temas mais técnicos, o paradigma sistêmico tem poder de solucionar diferentes questões no âmbito humano da liderança.

Paradigma mecanicistaParadigma sistêmico
Simplicidade, calculávelComplexidade
Visão da parte, reducionismoVisão do todo
SeparatividadeInterdependência
Previsibilidade, certezasProbabilismo, Questionamento
Analítico, lógicoIntuitivo, sintético
ControleInfluências
Causa e efeitosMultiplicidade
CompetiçãoIntegração
DicotomiaCausalidade circular
UniformizaçãoDiversidade
Modelo mental de escassezModelo mental de abundância
ProblemasDilemas

Segunda Prática: Criar clima organizacional compatível

Essa é uma prática que não pode ser feita por apenas uma pessoa, mas o Líder pode e precisa conscientizar seus liderados da sua importância na criação de clima organizacional harmônico, qualitativo e produtivo.

O clima é algo invisível, imperceptível, mas que todas as pessoas sentem. Ele é considerado um “pano de fundo” das atividades humanas, mas é de vital importância.

Isso porque o clima interfere diretamente na forma com que as pessoas agem e se comportam.

Portanto, se queremos bons relacionamentos, precisamos criar um clima favorável para que eles prosperem.

Da mesma forma, se desejamos produtividade ou qualidade na organização, é necessário ter um clima que promova esses aspectos instalados na empresa.

O desafio do Líder é entender o processo profundo de como se criam esses ambientes (ou climas) numa organização, família ou em outros grupos.

É muito importante entender que os resultados de uma organização dependem diretamente do clima organizacional.

Marcos Wunderlich
https://holos.org.br

Confira também: A arte de Liderar Pessoas: 7 práticas para ativar seu potencial! (parte II)

Marcos Wunderlich é Empresário e Presidente Executivo do Instituto Holos. Pioneiro do Coaching e Mentoring no Brasil, é referência nacional em Formação e Instrumentação de Mentores e Coaches no Brasil com abordagem holossistêmica e complexa, tem mais de 30 anos de experiência profissional. Consultor, palestrante, Master Coach e Mentor de Executivos. Mentalizador do Sistema ISOR® um conjunto instrumental científico-pedagógico de Desenvolvimento de Pessoas e Organizações com base na moderna ciência e neurociência, na milenar sabedoria humana e nas inovações da administração. Filiado ao ICF – International Coach Federation. Consultor CMC – Certified Management Consultant credenciado pelo IBCO – Instituto Brasileiro de Consultores de Organização em convênio com o ICMCI – International Council of Management Consulting Institutes. Formado e pós-graduado na área tecnológica, tem várias formações no campo da Gestão e Humanidades,
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa