fbpx

13º salário: Saiba a melhor forma de usar

O 13º salário é sempre bem-vindo, mas nem sempre é usado da forma mais adequada. A chegada desse montante é uma oportunidade para que você reveja seus hábitos e comportamentos, assim como uma oportunidade para melhorar sua vida financeira de forma definitiva.

O 13º salário é sempre bem-vindo, mas percebo que nem sempre ele é usado da forma mais adequada. Digo isso porque, em minha experiência como educador e terapeuta financeiro, vejo o quanto as rendas extras não são encaradas pelos profissionais como oportunidades para melhorar sua vida financeira de forma definitiva.

Você deve estar pensando como um valor equivalente a um salário pode mudar a sua realidade, mas esclareço: a chegada desse montante é uma oportunidade para que reveja seus hábitos e comportamentos, e aqui não estamos falando de dinheiro, e sim de educação financeira.

A forma que você pretende usar o seu 13º salário diz muito sobre o seu perfil. Se a intenção é pagar contas, por exemplo, esse é um indicativo de que você pode estar comprometendo mais da sua renda com dívidas do que deveria. Nesse caso, sugiro que faça um diagnóstico financeiro para compreender de que forma utiliza os seus recursos e então consiga mudar o seu comportamento.

Se estiver com contas em atraso, o ideal é que reserve o 13º e faça um levantamento de todas as suas dívidas, para então traçar um planejamento que o levará a negociar ou quitar os débitos em um futuro próximo. É importante colocar como prioridade as dívidas que dizem respeito a produtos e serviços essenciais, como aluguel, água e gás, além das de maiores juros, como cartão de crédito e cheque especial.

Reservar o montante do 13º é dar o primeiro passo para melhorar a sua situação justamente porque assim terá em mente que não basta “apagar as chamas”, é preciso “eliminar a origem do fogo”. Ou seja, não basta apenas pagar as contas em atraso, é preciso definir um plano de ação e, principalmente, mudar os hábitos que o levaram a essa situação em primeiro lugar.

Por outro lado, se a sua intenção é usar o 13º para o consumo, é possível que você não tenha contas em atraso, mas também não tenha o hábito de poupar. Por mais que essa pareça uma situação tranquila, ela é preocupante, especialmente se você não tiver uma reserva financeira para situações emergenciais. Portanto, a principal orientação é que você poupe parte do valor para essa reserva. Além disso, é importante que resgate seus sonhos e comece a poupar para conquistar aquilo que verdadeiramente deseja.

Na hora de investir o valor, considere o fundo mais compatível com o prazo em que deseja realizar os sonhos. Se for em até um ano, você tem um sonho de curto prazo, portanto é válido investir em Títulos do Tesouro Direto, por exemplo. Agora, se pretende realizar entre um e dez anos, esses são sonhos de médio prazo. Para eles são indicados Fundo de Investimentos, CDBs, LCIs, LCAs e também Títulos do Tesouro Direto. Para os sonhos que pretende realizar daqui a dez anos ou mais, chamados de longo prazo, a previdência privada é bastante indicada.

Se livrar das dívidas pode e deve ser um sonho, mas não o único. Portanto reserve parte do 13º para a poupança de seus objetivos e incorpore no seu dia a dia o hábito de poupar. Com o tempo, se tornará uma pessoa realizada, que sonha e conquista com frequência e vive com tranquilidade financeira.

Faça da chegada do 13º o primeiro passo para mudar a sua vida de forma definitiva.

Reinaldo Domingos é PhD em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Está a frente do canal Dinheiro à Vista, é colunista do de diversos meios de comunicação. Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira e o livro Empreender Vitorioso.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa